De acordo com um estudo recentemente publicado, o consumo elevado de fibras pode oferecer benefícios cardiovasculares enquanto altera as bactérias intestinais. Em um modelo de camundongo experimental, a dieta rica em fibras aumentou a abundância de bactérias produtoras dos benéficos ácidos graxos de cadeia curta no intestino, diminuiu a pressão sanguínea e melhorou a função cardíaca global.

 

A hipertensão, definida como pressão arterial anormalmente alta, é um problema de saúde pública generalizado e continua a ser um dos mais importantes fatores de risco para doenças cardiovasculares, incluindo AVC, ataque cardíaco e insuficiência cardíaca. Raramente é acompanhada por sintomas e tende a ser identificada apenas quando se procura cuidados de saúde para uma condição médica não relacionada. Muitos fatores genéticos e ambientais podem contribuir para a hipertensão, e o mais conhecido é o consumo excessivo de sódio. Embora estudos tenham encontrado que uma alta ingestão dietética de frutas e legumes é acompanhada por uma menor incidência de mortalidade cardiovascular, ainda não estava claro se os componentes da dieta, como a fibra, podem modular fatores de risco cardiovascular. O papel das bactérias intestinais também tem sido de interesse primário para aqueles que estudam a saúde cardiovascular. Essas bactérias podem produzir uma gama de metabolitos, tais como ácidos graxos de cadeia curta, que têm uma série de efeitos benéficos sobre a saúde humana.

 

Em um novo estudo, Marques e colegas do Heart Failure Research Group em Melbourne, na Austrália, procuraram avaliar se uma dieta rica em fibras previne o desenvolvimento de hipertensão e outros fatores de risco cardiovascular. Eles mantiveram grupos de camundongos em uma dieta normal de ração (47,5% de fibras) ou uma dieta rica em fibras (72,7% de fibras) por três semanas. Tinham como objetivo também investigar o papel do acetato, um ácido graxo de cadeia curta produzido por algumas bactérias intestinais, sobre o risco cardiovascular. Para tal, grupos separados de animais receberam suplementação de acetato. Foram coletadas amostras de fezes para analisar as bactérias intestinais e realizada uma série de testes para avaliar o risco cardiovascular.

 

O estudo, publicado em Circulation, descobriu que uma alta ingestão de fibras pode oferecer benefícios cardiovasculares, alterando as bactérias intestinais. Os camundongos com uma dieta rica em fibras tinham diferentes proporções de bactérias intestinais do que aqueles na dieta normal (ração).

 

Particularmente interessante, foi o aumento das bactérias benéficas produtoras de acetato, que também foram encontradas no grupo que recebeu suplementação de acetato. Tanto a suplementação de acetato quanto a dieta com alto teor de fibras também estiveram associadas à redução da pressão arterial sistólica e diastólica, fibrose cardíaca e hipertrofia ventricular esquerda, as quais desempenham um papel protetor no desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Embora isso seja promissor, outros testes precisam ser feitos para determinar a aplicação clínica ou não.

 

Este estudo investigou o efeito da dieta e suplementação de acetato sobre as bactérias intestinais e outras medidas de risco cardiovascular. Os resultados enfatizam que um alto consumo de fibras é benéfico para a saúde e função cardiovascular.


Traduzido por Essential Nutrition

 

Fonte:http://www.medicalnewsbulletin.com/high-fibre-intake-may-offer-cardiovascular-benefits-altering-gut-bacteria/


“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essential.”