A inflamação é a forma como o seu corpo responde a um problema. Se lutando contra uma infecção ou câncer, ou curando-se de uma fratura óssea, seu corpo precisa fornecer células imunes e potentes para o local prejudicado através de sua corrente sanguínea, a fim de lutar e corrigir o problema.

 

Portanto, a inflamação é realmente projetada para ser um processo agudo que entra e sai de cena rapidamente. Quanto mais tempo as células imunológicas e de reparo permanecem em um local, maior a chance de que elas causem danos às células e aos tecidos saudáveis.

 

Explicando de maneira simples, uma inflamação crônica é uma inflamação aguda que não se resolveu adequadamente. O resultado é dano e doença. É por isso que a apontamos como denominador comum de todos os distúrbios relacionados à idade.

 

Todos os tecidos e órgãos são muito suscetíveis a danos inflamatórios. Mas isso é especialmente verdadeiro para o seu coração e vasos sanguíneos.

 

A inflamação crônica pode danificar as células musculares do coração, as válvulas cardíacas e o revestimento interno das artérias chamado de endotélio. Isso pode resultar na progressão do acúmulo de placa, pressão arterial elevada, batimentos cardíacos irregulares e até insuficiência cardíaca congestiva.

 

A inflamação crônica pode ser detectada através de exames de sangue, e um dos testes mais comuns – proteína C-reativa – aponta um fator de risco para doença cardíaca. Dois estudos publicados no New England Journal of Medicine validam o papel que a proteína C-reativa desempenha no aumento do risco de doença cardiovascular.

 

Os resultados mostram que as pessoas que atingiram os níveis mais baixos de proteína C-reativa tinham significativamente reduzidas as taxas de ataque cardíaco. Os estudos também mostraram que somente a redução dos níveis de proteína C-reativa (CRP) já reduz o risco de ataque cardíaco e retarda a progressão da aterosclerose. Por esta razão, os pesquisadores recomendam testar CRP e baixar seu nível, se necessário.

 

O que você come influencia a inflamação crônica.

Uma das melhores maneiras de controlar a inflamação é observar o que você come. Alguns alimentos como a proteína animal pode realmente aumentar a inflamação. Por quê? Porque contêm um composto químico chamado ácido araquidônico.

 

O ácido araquidônico é o precursor de proteínas sinalizadoras inflamatórias, como leucotrienos e citocinas. Quando estes sinais são liberados em sua corrente sanguínea, a inflamação aumenta e o dano do tecido pode ocorrer. Além disso, comer muita gordura saturada, açúcares simples e xaropes pode aumentar a proteína C-reativa, sendo que verduras, frutas e grãos integrais a regula para baixo.

 

Um estudo mostrou uma diminuição de 39% nos níveis de CRP após apenas oito semanas de uma dieta pobre em gordura saturada e rica em fibras. Os participantes do estudo também tiveram reduções em seu LDL, colesterol total, peso corporal e rigidez arterial.

 

Quais são os melhores nutrientes anti-inflamatórios?

Mesmo se alimentando saudavelmente, considere complementar com extrato de Boswellia – oriundo de uma árvore medicinal do Oriente Médio que produz uma seiva amarga contendo um composto chamado AKBA.

 

Este composto pode inibir uma enzima inflamatória poderosa chamada 5-LOX. Isto é importante porque esta enzima está implicada em cerca de 1 milhão de mortes nos Estados Unidos, desde doenças como Alzheimer, doenças cardíacas e acidente vascular cerebral.

 

Se você decidir complementar sua alimentação com um extrato de Boswellia, não se esqueça de escolher um que contenha altos teores de AKBA ativo. Os ácidos graxos ômega-3 EPA e DHA são outra escolha sábia. Você provavelmente já ouviu falar que o ômega-3 diminui a inflamação. Mas o que pode ser interessante saber é que quando você o combina com extrato de oliva, os efeitos produzidos são melhores.

 

E não se esqueça da curcumina, proveniente do açafrão indiano. Ela realmente inibe uma proteína inflamatória ainda mais poderosa chamada de fator nuclear-kappa B (NF-kappaB). NF-kappaB age como um interruptor para ativar os genes que produzem as respostas inflamatórias do corpo que podem acabar prejudicando seu sistema cardiovascular.

 

Lembre-se que a inflamação crônica é o denominador comum de todos os transtornos relacionados à idade. E isso é especialmente verdadeiro para o seu sistema cardiovascular.

 

Então, como você pode manter a inflamação sob controle? A resposta é simples:

Reduza os produtos de origem animal. Coma mais folhas verdes, frutas escuras e grãos. E considere a suplementação com nutrientes como o extrato de Boswellia, ômega-3 e curcumina.

 

Traduzido por Essential Nutrition

 

 

Referências científicas no artigo original:

http://blog.lifeextension.com/2012/10/chronic-inflammation-heart-health.html?utm_campaign=normal&utm_source=twitter&utm_medium=social


“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essential.”