A L-arginina é um aminoácido encontrado na carne vermelha, aves, semente de abóbora, laticínios (whey protein), dentre outros, além de ser produzida pelo organismo.

 

Evidências anteriores demonstraram que o suplemento de L-arginina pode melhorar a função endotelial, secreção de insulina, estresse oxidativo, inflamação relacionada ao diabetes mellitus (DM), doenças cardiovasculares (DCV), distúrbios autoimunes. Adicionalmente, a arginina vem demonstrando seu poder de ajuda dentro do campo esportivo.

 

O mecanismo exato que explica o efeito do aminoácido no desempenho esportivo é desconhecido, mas é bem sabido que ele é um precursor do óxido nítrico (NO), usado para aumentar a força muscular, a resistência e a melhora do fluxo sanguíneo. Teoricamente, um aumento no fluxo sanguíneo poderia melhorar o desempenho esportivo, enquanto aumenta o fornecimento de nutrientes e/ou a remoção do produto residual dos músculos em atividade.

 

De acordo com evidências anteriores de que a suplementação de L-arginina em longo prazo poderia ser mais benéfica do que doses maiores em curto prazo, pesquisadores de um recente estudo clínico a forneceram a atletas masculinos iranianos (jogadores de futebol): 2 g/dia durante 45 dias. Com isto, o estudo publicado em European Journal of Clinical Nutrition teve como objetivo avaliar o efeito do aminoácido sobre a composição corporal e performance esportiva.

 

A idade média dos 52 participantes (25 no grupo L-arginina; 27 no grupo placebo) foi de 20,85 (±4,29 anos). Não havia diferença estatisticamente significativa da idade, peso, IMC (índice de massa corporal), massa gorda, massa magra e VO2 máx, e nem mesmo do consumo dietético entre os dois grupos. Além disso, o nível de atividade física foi semelhante durante o estudo.

 

Em comparação com os valores basais, observou-se um aumento significativo no VO2 máx (performance esportiva) no grupo L-arginina (4.12 ± 6.07) em comparação com o grupo placebo (1.23 ± 3.36) (P = 0.03) no final do estudo. As medidas antropométricas não sofreram alterações. Os resultados mostram que 2g de L-arginina por dia pode melhorar a performance esportiva, e os autores concluem que “as diferenças no design, dosagem e duração podem ser as razões para resultados conflitantes em estudos anteriores”.

 

 

Referência: Pahlavani N, et al. The effect of l-arginine supplementation on body composition and performance in male athletes: a double-blinded randomized clinical trial. European Journal of Clinical Nutrition, 2017. DOI: 10.1038/ejcn.2016.266

 


“As informações fornecidas neste site destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso site e mídias sociais da Essential.”