Polivitamínico Infantil
Loading...
Olá Visitante, (0)

Você não possui items no carrinho de compras.

 

Boas escolhas alimentares são imprescindíveis para o bem-estar de adultos e crianças. Uma ingestão indevida de nutrientes é responsável por causar inúmeros prejuízos à saúde infantil como obesidade, diminuição da memória e cognição, redução da atividade imunológica e desnutrição, podendo levar a diversas consequências na vida adulta.

O que contém em um produto é tão importante quanto o que não contém.

Tão importante quanto escolher alimentos saudáveis é dizer não àqueles cheios de açúcar, adoçantes artificiais, realçadores de sabor e substâncias pouco nutritivas.

Aprender a ler os rótulos é o primeiro passo para escolhas mais conscientes.

Coloque uma atenção especial à lista de ingredientes: eles ficam organizados por quantidade, ou seja, se o açúcar está entre os primeiros da lista, significa que a base do produto é o açúcar - o que não é nada bom. Dê preferência àqueles produtos com ingredientes naturais e vitaminas e minerais de alta biodisponibilidade, sem açúcar, sem conservantes e sem substâncias artificiais, tais como aromas, adoçantes e corantes.

Como escolher um polivitamínico.

CONCENTRAÇÃO:

Os nutrientes contidos em um multivitamínico podem se apresentar sob diversas formas e concentrações. Por isso, a importância do conhecimento do profissional de saúde na hora da sua prescrição. Em geral, polivitamínicos são indicados quando a dieta não atende as necessidades diárias de determinados nutrientes ou quando se quer alcançar níveis acima do recomendado por outros motivos.

VITAMINAS ATIVAS:

Vitaminas ativas são aquelas prontas para exercer sua função, ou seja, o corpo não precisará transformá-las ou ativá-las. As vitaminas ativas mais conhecidas são o colecalciferol (forma ativa da Vitamina D) e a metilcobalamina (forma ativa da vitamina B12). É importante observar na descrição dos ingredientes dos polivitamínicos a presença das denominações das formas ativas das vitaminas para se certificar da qualidade do produto.

MINERAIS QUELADOS:

A grande maioria dos polivitamínicos utilizam os minerais na forma de óxidos, que são pouco absorvidos pelo corpo. Para que os minerais cumpram suas funções, a absorção é de extrema importância. Os minerais quelados apresentam absorção potencializada porque estão envolvidos por aminoácidos, substâncias altamente reconhecidas pelo corpo que carregam o mineral para o interior das células.

Baixe agora

e-books para uma vida mais saudável

Qual a função das vitaminas e minerais para as crianças?

A infância é uma fase onde geralmente as crianças tem uma baixa ingestão de bons nutrientes, seja porque não aceitam diversas texturas e sabores dos alimentos naturais ricos em vitaminas e minerais, ou seja porque a hora de brincar é sempre tão gostosa que sentar à mesa para realizar a refeição parece uma tortura. A ingestão de alimentos ricos em micronutrientes (vitaminas e minerais) é imprescindível para o desenvolvimento físico, psíquico e imunológico da criança. No corpo, esses elementos não agem isoladamente e precisam estar em doses equilibradas para se complementarem e exercerem seus efeitos.

  • FERRO:

    Elemento essencial para o crescimento e desenvolvimento da criança, que em deficiência pode levar a casos de anemia ferropriva. Nos países em desenvolvimento como o Brasil, estima-se que a prevalência de anemia entre crianças é de mais de 50%, podendo reduzir as habilidades das crianças em relação a linguagem e coordenação motora fina.

  • MAGNÉSIO:

    O magnésio é o segundo oligoelemento mais abundante do corpo e essencial para o bom funcionamento de uma série de tecidos e órgãos do sistema cardiovascular, neuromuscular e nervoso. Encontra-se distribuído no corpo principalmente nos ossos e músculos. A redução do consumo de magnésio implica em diversas alterações metabólicas, dentre elas a diminuição da memória e cognição - fatores importantes para o desenvolvimento infantil. A deficiência de vitamina D também influencia de forma negativa na absorção de magnésio.

  • ZINCO:

    O zinco está presente em mais de 300 reações químicas dentro do nosso corpo, logo, é possível imaginar a importância de manter bons níveis séricos de zinco. Entre os inúmeros processos biológicos influenciados por esse oligoelemento destaca-se o crescimento e desenvolvimento físico e mental, a sua influência no metabolismo de transporte e absorção da vitamina A, prevenção de diabetes e seu papel na defesa do organismo pela maturação das células de defesa e por sua ação antioxidante.

  • COBRE:

    Evidências científicas indicam sua influência sobre a função imunológica e maturação dos tecidos linfoides. Atua também como cofator para a enzima superóxido dismutase (SOD), enzima chave na defesa antioxidante.

  • CROMO:

    O cromo é um nutriente essencial para a ação da insulina no metabolismo dos açúcares e sua deficiência resulta em sintomas comparados àqueles associados ao início de diabetes e doença cardiovascular. Destaca-se ainda que altas concentrações de açúcar interferem diretamente na absorção do cromo.

  • MANGANÊS:

    Como benefícios atribuídos ao manganês destaca-se sua ação hipoglicemiante, ação sobre o metabolismo das gorduras e proteção das células hepáticas, além do papel na biossíntese de proteínas e mucopolissacarídeos. Por isso, uma deficiência de manganês pode interferir no crescimento, causar anormalidades no esqueleto e alterar o metabolismo de carboidratos e gorduras.

  • SELÊNIO:

    O selênio tem importante repercussão na saúde, particularmente em relação à resposta imune e cognição. É um importante mineral que constitui enzimas antioxidantes com finalidade de combater a formação de radicais livres.

  • VITAMINA C:

    A vitamina C é um dos micronutrientes mais estudados e sua principal e mais conhecida função está relacionada à imunidade. Sua carência pode causar dificuldade de cicatrização, problemas nas gengivas e desestabilização dos dentes. A vitamina C é excretada na urina em grandes quantidades, razão pela qual precisamos manter uma ingestão diária adequada.

  • VITAMINA B1 (TIAMINA):

    Vitamina pertencente a classe do complexo B e indispensável para manutenção do sistema nervoso e cardiovascular. Participa também do metabolismo energético e processos importantes do sistema nervoso, coração, células sanguíneas e músculos. Sua deficiência pode estar associada à falta de apetite, fraqueza, irritabilidade, alterações na função cardíaca e anormalidades neurológicas.

  • VITAMINA B2:

    Vitamina do complexo B, relacionada ao metabolismo das gorduras, açúcares e proteínas. Sem ela a vitamina B6 e o ácido fólico são incapazes de se transformarem na forma ativa para exercerem sua ação. Sua deficiência, além de ocasionar manifestações físicas como pele seca e problemas visuais, pode também interferir na absorção do ferro. Sua forma ativa chama-se riboflavina-5-fosfato.

  • VITAMINA B3 (NIACINA):

    Outra vitamina do grupo complexo B, a niacina está ligada à redução do colesterol e auxilia na produção do suco gástrico pelo estômago. Sua deficiência pode ocasionar aumento do colesterol, problemas gástricos e erupções na pele.

  • VITAMINA B5 (ÁCIDO PANTOTENICO):

    Também pertencente às vitaminas do complexo B, está envolvida na liberação da energia dos carboidratos, na degradação e metabolismo dos ácidos graxos, síntese de hormônios e no funcionamento de células imunológicas.

  • VITAMINA B6:

    Importante no metabolismo de carboidratos e aminoácidos. Regula a ação dos hormônios, auxilia na utilização de vitaminas e atua na síntese de neurotransmissores. Promove a formação das hemácias. Sua deficiência afeta o sistema nervoso e causa irritabilidade, dermatite seborréica, eczema, anemia e convulsões. No corpo há necessidade de conversão da vitamina B6 na sua forma ativa piridoxal-5-fosfato.

  • VITAMINA B12:

    Importante no metabolismo celular, principalmente no trato gastrointestinal, medula óssea e tecido nervoso. Participa do metabolismo energético de aminoácidos e de lipídeos, da síntese de células, inclusive hemácias, e genes. A sua deficiência pode ser devida à má absorção (comum em pessoas idosas) ou por problemas digestivos. Causa dor de cabeça, humor instável, fraqueza muscular, fadiga, indigestão, anemia, transtornos na formação do sangue, distúrbios gastrointestinais e neurológicos. A vitamina B12 no corpo precisa ser convertida a sua forma ativa de metilcobalamina.

  • VITAMINA A:

    Nutriente essencial, necessário em pequenas quantidades para o adequado funcionamento do sistema visual, crescimento e desenvolvimento, manutenção da integridade celular epitelial, função imune e defesa antioxidante. Estima-se que 250 milhões de crianças no mundo sejam deficientes de vitamina A e que de 250 mil a 500 mil crianças ao ano tornem-se cegas em decorrência da carência. Além do efeito direto na visão, a deficiência de vitamina A influencia a incorporação de ferro nas hemácias agravando os casos de anemia ferropriva.

  • VITAMINA E:

    Excelente antioxidante que previne o dano celular ao inibir a atuação de radicais livres. Quando utilizada com a vitamina C tem seu efeito potencializado. Tem papel em diversos tecidos, como o muscular e nervoso. Sua deficiência pode acarretar dificuldades na circulação sanguínea, na cicatrização, afetar a pressão arterial e até ocasionar neuropatias periféricas (aumento ou perda de sensibilidade nos nervos espalhados pelo corpo).

  • VITAMINA K:

    É necessária na coagulação sanguínea e na cicatrização, atuando na formação óssea. A vitamina K impede a progressão da placa de colesterol e inibe a calcificação arterial, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares. Antibióticos interferem negativamente na absorção de vitamina K. Sua deficiência gera tendência à hemorragia, causando sangramento fácil de gengiva e da pele. Sua forma mais reconhecida pelo corpo é a K2.

  • ÁCIDO FÓLICO:

    Necessário para a formação e maturação das células sanguíneas e das células de defesa na medula óssea, a deficiência de ácido fólico pode ocasionar má-formação das células, déficit de crescimento, anemia, alterações sanguíneas e distúrbios na digestão. Para exercer sua ação, o ácido fólico precisa ser transformado em ácido folinico e posteriormente em metilfolato.

  • VITAMINA D:

    Está relacionada não somente ao desenvolvimento e manutenção da saúde óssea, mas também à redução do risco de obesidade e diabetes, além de aumentar a imunidade. Níveis séricos normais de vitamina D promovem a absorção do cálcio e, por essa razão, durante a infância, a deficiência dessa vitamina pode causar retardo do crescimento, anormalidades ósseas e aumento do risco de fraturas na vida adulta. Frutas e vegetais fornecem baixas quantidades de vitamina D e sua absorção é altamente dependente da exposição ao sol. Como nos dias atuais as crianças se expõem ao sol cada vez menos, observa-se ano após ano o aumento da incidência de carência nutricional de vitamina D.

Achocolatado
Polivitamínico Referência*
Brócolis
(100 g)
Cenoura
(100 g)
Beterraba
(100 g)
Couve
(100 g)
Espinafre
(100 g)
Proteínas (g) 1 2.82 0.93 1.61 1.28 2.86
Fibras (g) 1.5 2.6 2.8 2.8 2.5 2.2
Ferro (mg) 1.6 0.73 0.3 0.8 0.47 2.71
Magnésio (mg) 73 21 12 23 12 79
Zinco (mg) 3.7 0.41 0.24 0.35 0.18 0.53
Cobre (mcg) 135 49 0.045 0 0 0
Cromo (mcg) 5 0 0 0 0 0
Manganês (mg) 0.3 0.210 0.143 0 0 0
Selênio (mcg) 13 2.5 0.1 0 0 0
Vitamina C (mg) 35 89.2 5.9 4.9 36.6 28.1
Tiamina (mg) 0.9 0.071 0.066 0.031 0.061 0.078
Riboflavina (mg) 0.9 (na forma de
riboflavina-5-fosfato
0.117 0.058 0.040 0.040 0.189
Niacina (mg) 12 0.639 0.983 0.334 0.234 0.724
Ac pantotenico (mg) 4 0.573 0.273 0 0 0
Vit B6 (mg) 1 (na forma de
piridoxal-5-fosfato
0.175 0.138 0.067 0.124 0.195
Vit B12 (mcg) 1.8 (na forma de
mitilcobalamina
0 0 0 0 0
Vit A (mcg) 165 187 4350 2 29.4 2813
Vit E (mg) 7 0.78 0.66 0 0.15 2.03
Vit K (mcg) 8.3 (na forma
de K2)
101.6 13.2 0.2 76 482.9
Ac fólico (mcg) 177 (na forma de
metilfolato
63 19 109 43 194
Vit D (mcg) 5 0 0 0 0 0

*O achocolatado de referência utilizado foi o Chocoki Essential Nutrition, levando em consideração a medida de uma dose ou duas colheres de sopa.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

SSL